dezembro 10, 2010

Mauá, o Imperador e o Rei

A segunda metade do século XX foi marcada por muitas mudanças no país. O filme Mauá, o Imperador e o Rei deixa bem evidente estas características do período e usa a biografia de um pioneiro na indústria brasileira, um visionário que lendo Adam Smith e focando seus empreendimentos no modelo inglês alcançou a fortuna, o respeito e o desprezo de muitos.
M. Ouriques


O filme “Mauá, o Imperador e o Rei” trata do pioneirismo empresarial de Irineu Evangelista, futuro Barão de Mauá, de sua adolescência como caixeiro ao seu rápido crescimento profissional como comerciante e posteriormente como industrial e banqueiro, ingressando também na maçonaria.
O contexto histórico é bastante tumultuado, pois se trata de um período de transição de estrutura no país. O país sofria forte pressão por parte dos ingleses para a extinção do trabalho escravo, sendo que em 1850 através da Lei Euzébio de Queiroz o tráfico escravo é definitivamente abolido. Ainda nesse ano entra em vigor a Lei de Terras, que regularizou antigas sesmarias e posses, e o Código Comercial que normalizou a legislação sobre atividades mercantis e financeiras, derrubando entraves da legislação portuguesa, que dentro do espírito da contra reforma católica, condenavam as atividades de acumulação de capitais.
Mauá atuou em diversos setores da economia, como na fundição de ferro, na construção de ferrovias e na fundação de bancos. Foi fortemente influenciado pela experiência econômica dos ingleses e demonstrou ser um empreendedor ousado e de sucesso.
No filme fica claro, ainda, que muitas das idéias abolicionistas não estavam pautadas na questão da barbárie e sim que esta instituição só atrapalharia o progresso de um país. Os empregados do empresário, em sua maioria negros livres, deixam estas idéias bem evidentes.
Um de seus maiores empreendimentos era o Estaleiro Ponta de Areia que sofreu um incêndio, provavelmente de origem criminosa. Com o boicote do imperador e a concorrência de estrangeiros, especialmente em seus bancos, Mauá vai à falência.
O filme trata, portanto, de um período de grandes mudanças no setor econômico, político e social. Uma biografia de um pioneiro no setor industrial permeado de um contexto histórico de mudanças definitivas para o país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário